Mesa PAS, eleição para os Conselhos da FAPES e uso das redes sociais

Mesa PAS

Na última terça-feira (26) realizou-se reunião da Mesa PAS, que estuda questões relacionadas ao Plano de Assistência e Saúde dos empregados e aposentados do Sistema BNDES. No editorial do VÍNCULO 1332, de 7/2/2019, já tínhamos defendido a importância da retomada desta Mesa.

Entre os temas discutidos na reunião, a questão dos ajustes no Plano de Saúde demandados pela Resolução CGPAR 23. Em breve, a AFBNDES convocará uma plenária para discutir o tema com o conjunto dos usuários do PAS. Cabe aqui adiantar que nossa ação está organizada em três frentes: pelas vias legal e parlamentar, estamos juntos aos que contestam a Resolução. A terceira frente é a da negociação interna com o Banco. Nesta não vemos outra saída que não seja a de sermos realistas e negociar dentro do espaço estabelecido pela Resolução, procurando usar bem o período de ajuste que temos pela frente até sua aplicação plena. Na negociação temos um foco claro: a manutenção da autogestão do Plano de Saúde. Esse é o arranjo institucional mais favorável à comunidade benedense e à Administração do BNDES e conta com o apoio de todos os envolvidos na Mesa – inclusive os representantes da Diretoria da FAPES e da AARH. Trata-se da saída que todos consideram não apenas tecnicamente viável, como a melhor disponível.

Dado esse amplo consenso, resta o posicionamento puramente ideológico que pode surgir contra o modelo atual do Plano de Saúde. Não assistiremos parados à perpetração do que só poderá ser entendido como um capricho ou arbitrariedade. Nossa resposta só poderá se dar com a mobilização massiva dos empregados e aposentados.

Eleições para a FAPES

O VÍNCULO traz, nesta edição, um caderno especial sobre as eleições para os conselhos Deliberativo (CD) e Fiscal (CF) da FAPES. A AFBNDES aproveita a oportunidade para desejar sorte aos candidatos. Decidimos por não apoiar nenhum candidato específico, mas apoiamos que o representante dos ativos no CD seja um candidato associado ao grupamento dos "porta-joias". Estamos satisfeitos que esse seja o caso dos dois candidatos titulares que estão disputando as eleições.

Aproveitamos para enfatizar que o Acordo na Mesa FAPES teve como um dos compromissos a resolução definitiva da questão da "joia". Estava claro para todos que fizeram parte da Mesa que essa ação dependia de um desempenho superavitário do PBB em 2018. A correção do déficit, aprovada por unanimidade na Mesa, envolveu a totalidade do déficit mensurado, ou seja, foi feito o máximo ajuste possível. Entre as razões pelas quais apoiamos essa medida, estava a de resolver a questão da "joia". Infelizmente, apesar do esforço, o plano terminou com déficit em 2018. Não temos nenhuma razão ou evidência para atribuir isso à má-fé dos que participaram da Mesa FAPES. Não havia nada facilmente antecipável que prometia gerar o resultado que veio a se observar.

Entendemos que o ajuste não resultou em completa frustração para o grupamento dos "porta-joias", pois a FAPES noticia que a correção do déficit gerou algumas reduções substanciais da "joia" (em média de 37%, tendo casos de redução de 80%).

Para a AFBNDES, o Acordo de 2018 da Mesa FAPES não estará cumprido enquanto não resolvermos o problema dos "porta-joias". Nesse sentido, para aumentar a probabilidade de uma resolução da questão no menor prazo possível, é importante que seja estabelecido o compromisso de que nenhuma mudança de parâmetro no PBB que tenha impacto negativo seja realizada antes de se eliminar a diferenciação no cálculo da "joia". Esse é o compromisso que esperamos estabelecer com os demais participantes da Mesa FAPES – e é o único que nos parece consequente com o compromisso assumido no Acordo da Mesa FAPES de 2018.

Redes sociais

Finalmente, lamentamos que tantos empregados e aposentados do BNDES continuem a usar as redes sociais de forma não responsável. Reverberando rumores, fazendo acusações levianas, apenas geram pânico e apatia no Banco. Esse não é o caminho. A AFBNDES se propõe a encaminhar reclamações, apurar denúncias e muitas vezes reunimos informações para contradizer fake news. Mas não são apenas notícias falsas que são propagadas por aí. Há muita opinião que é expressa em rede social que evita o VÍNCULO. Perguntamos o motivo. Algum leitor poderia imaginar censura. Esclarecemos: ela não existe. Há, por exemplo, quem critique o Acordo da Mesa FAPES nos corredores e nas redes sociais. Por que não fazer isso por meio do jornal, de modo a suscitar um debate sério, produtivo entre os funcionários, ao invés de suspeitas vãs?

Alguém pode admirar um parlamentar que não usa seu espaço democrático no Parlamento para apresentar opiniões e debater com os colegas, e ao mesmo tempo se expressa intensamente pelas redes sociais em pequenas mensagens? Por que então na nossa prática cotidiana adotamos tal postura como modelo?

Bom carnaval para todos.

 

VERSÃO IMPRESSA

(arquivo em PDF)

 

EDIÇÕES ANTERIORES

(a partir de 2002)

AGENDA

Novidade no site da AFBNDES

Agora está disponível, no site da AFBNDES (menu na parte superior), uma nova seção intitulada "Opinião". Nela são encontrados links para os artigos publicados no jornal VÍNCULO, a partir de julho de 2016, pelo nome de seus autores. Também é possível encontrar links para notas e artigos especiais que foram publicados no site da entidade – fora das edições do jornal.