Solidariedade e compromisso com a verdade
Empregados do BNDES lotam térreo do Edserj em protesto contra denúncia do Ministério Público Federal relacionada à Operação Bullish

wsantos

Manifestação dos empregados no térreo do Edserj na última sexta-feira (15)

 

Os desdobramentos da Operação Bullish, que investiga aportes realizados pela BNDESPAR na JBS, novamente levaram os empregados do BNDES a um ato de protesto no térreo do Edserj. A manifestação foi realizada na tarde da última sexta-feira (15) – a exemplo do que ocorreu em 12 de maio de 2017, quando houve a condução coercitiva de 37 técnicos do Banco para depoimento na Polícia Federal, no Rio.

Desta vez, o ato convocado pela AFBNDES tinha como objetivo prestar solidariedade a seis empregados e ex-empregados do BNDES denunciados, no último dia 14, pelo Ministério Público Federal. Durante a manifestação, foi aprovada a elaboração de uma carta aberta à sociedade com o posicionamento do corpo funcional benedense a respeito da denúncia. Este documento já está circulando pelo Banco para o recolhimento de assinaturas dos empregados, estando também disponível na secretaria da Associação.

O documento foi uma deliberação da plenária reunida no ato. Nele foi feito o esforço de, em pouco tempo, digerir a denúncia apresentada e informar as razões pelas quais não somos neutros sobre a denúncia do MPF. Esperamos ter mostrado que nossa reação não está fundada num automatismo corporativo. Depois de examinar a denúncia, nos indigna a sistemática desconsideração, sem maiores esforços explicativos, dos argumentos apresentados pelo BNDES. Temos um inquérito e agora uma denúncia sobre empregados do BNDES baseados na identificação de irregularidades pelo TCU que foram exaustivamente debatidas. Tememos que se os órgãos de controle optarem por essa forma de conduzir suas investigações, outras operações do BNDES podem estar expostas a riscos semelhantes. Isso coloca os empregados do BNDES numa situação de altíssima vulnerabilidade.

Procuramos apontar também no documento o que pode ser uma alternativa sadia, positiva, para a relação entre BNDES e órgãos de controle. Há uma disposição genuína de aperfeiçoar processos na Casa. Advertências, sugestões, maior grau de interação com o TCU são muito bem-vindos. Esperamos que esse caminho venha a prevalecer a bem dos empregados do BNDES e do Estado brasileiro.

Mais de dez empregados fizeram o uso da palavra durante o ato, entre eles o presidente e o vice-presidente da AF, Thiago Mitidieri e Arthur Koblitz, respectivamente. Foram lidas mensagens de três dos denunciados pelo MPF agradecendo o apoio dos colegas e acreditando na justiça e no esclarecimento dos fatos. Também houve a repetição da foto dos funcionários levantando o crachá do Banco com orgulho e comprometimento, como foi feito, de maneira espontânea, em 12 de maio de 2017.

 

Editorial

Compliance Strikes back?

Acontece

Carta Aberta dos empregados do BNDES com relação à denúncia apresentada pelo MPF na Operação Bullish

Acontece

Votação para Conselhos da FAPES termina nesta quinta-feira

Acontece

Eleição para a CIPA/BNDES até o dia 2 de abril

Acontece

EM DISCUSSÃO
Os "novos" rumos da economia brasileira

Acontece

Um site em defesa do direito à aposentadoria

Acontece

Crescimento e estagnação em seminário no dia 25

Acontece

Notícias sobre previdência e saúde no WhatsApp FAPES

Opinião

O papel do BNDES no desenvolvimento econômico do Brasil, por Maurício Borges Lemos

 

ESPECIAL FAPES/ELEIÇÃO 2019
Eleição para Conselhos acontece de 13 a 21 de março

 

VERSÃO IMPRESSA

(arquivo em PDF)

 

EDIÇÕES ANTERIORES

(a partir de 2002)

AGENDA

Aprovado calendário da eleição para CD e CF da AFBNDES

Foi aprovado ontem, no CD, o calendário oficial da eleição que renovará os Conselhos Deliberativo e Fiscal da AFBNDES (mandato 2019-2021). O edital de convocação do pleito será publicado em 5 de abril; a inscrição de candidatos se dará de 30 de abril a 14 de maio; a votação acontecerá em 29 de maio; a proclamação dos eleitos ficou marcada para 7 de junho; e a posse dos novos conselheiros para 1º de julho.

A eleição é para o preenchimento de, no máximo, 25 vagas no Conselho Deliberativo; e de seis vagas no Conselho Fiscal, sendo três efetivas e três suplentes.